brises

Tudo sobre Brises (Brise-Soleil ou Ripado)

O brise-soleil (expressão francesa cuja tradução literal seria quebra-sol, embora seja comum a utilização apenas da palavra brise em português), também comumente chamado de ripado (no caso da madeira) é um elemento arquitetônico utilizado para impedir a incidência direta de radiação solar nos interiores de um edifício, de forma a evitar calor excessivo.

Foi um dos principais elementos compositivos utilizados pela arquitetura moderna, sendo ele próprio um ícone de movimentos arquitetônicos, embora dispositivos similares sejam encontrados em obras mais antigas. Credita-se ao arquiteto franco-suíço Le Corbusier a sistematização (e, dependendo da fonte consultada, a própria invenção) dos brise-soleils. Sua obra conhecida como Unidade de habitação de Marseille faz uso bastante profundo dos brises, sendo que tais elementos possuem papel de destaque na constituição da linguagem daquele edifício.

Os brises podem ser compostos de materiais diversos, porém, os de madeira trazem um requinte a mais na composição das fachadas. Normalmente caracterizam-se como uma série de lâminas, móveis ou não, localizadas em frente às aberturas dos edifícios. No caso de serem móveis, permitem que conforme a necessidade e a conveniência, sejam regulados para aumentar ou diminuir a insolação no recinto em questão.

Exemplos célebres de edifícios que têm nos brises elementos fundamentais de sua composição são o Palácio Gustavo Capanema (no Rio de Janeiro, sendo este o primeiro edifício conhecido a fazer uso de brises móveis no mundo) e o Copan e o Edifício Itália, ambos em São Paulo.

Independente do elemento de fabricação, as aletas dos brises são posicionadas na horizontal ou na vertical. Os brises posicionados na horizontal são mais utilizados quando o sol permanece quase que todo o dia na parte superior do globo terrestre, com isso, por suas características a fachada norte brasileira geralmente é a mais indicada. Já nas fachadas leste e oeste brasileiras, por receberem respectivamente o sol da manhã (que vêm da parte inferior do globo) e o da tarde (que está se pondo e também está localizado na parte inferior do globo) os brises com aletas verticais são mais utilizados. Na fachada sul brasileira, por receber menor incidência solar, geralmente o brise é mais utilizado para seguir a arquitetura do edifício e não tanto por sua funcionalidade.

Os brises móveis são considerados os mais eficientes por possuírem mobilidade nas aletas, tendo em vista a variação solar durante todo o dia. Já os brises fixos, precisam ser projetados com mais atenção, pois sempre existe um ângulo de abertura entre aletas e que quanto maior, mais sujeito à exposição solar se encontra o edifício e que quanto menor, menos entrada de luz natural haverá na parte interna do prédio.

Geralmente utilizados em construções que necessitam muito do aproveitamento da iluminação natural e bloqueio do ofuscamento causado pelos raios solares. Com essas características, os brises são cada vez mais utilizados em prédios públicos, universidades, colégios, hospitais, shoppings e centros comerciais.

2 comentários

  • Maria de fatima de jesus

    Quais as medidas mínimas e máxima para fazer um brise horizontal para um sobrado de 2 andares, terreo mais 2 pavimentos.
    Na foto é lindo mas não tenho noção do espaçamento.
    Ps. Aqui é fachada norte brasileira

    • Equipe Scali & Mendes

      Prezada Maria de Fatima,

      Agradecemos seu contato, estamos lhe respondendo via e-mail.

      Atenciosamente.

      Equipe Scali & Mendes

  • Escreva um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *